quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

HOMENAGEM A TOM JOBIM * RENATO BÁEZ - MS


@
regioes-df[42]
TROVADOR RENATO BÁEZ - MS
*
*
***
Desta tristeza me lembro:
De TOM JOBIM, sua morte.
Noventa e quatro, dezembro,
lá na América do Norte.

Trasladado ao seu torrão
no Rio foi sepultado,
no Cemitério São João,
bem perto do Corcovado.

Viajando pelo mundo
o Brasil fez divulgar,
com seu talento profundo 
no piana a demonstrar.

Pelo Bem que concorreu,
pra alegrar a humanidade,
evoco TOM que morreu
deixando imensa saudade.

Sessenta e sete janeiros,
tinha o Pai da Bossa Nova,
orgulho dos brasileiros,
que descansa em sua cova.

Da Bossa Nova fanal
galga plano superior,
movimento cultural
de projeção no exterior.

Maestro JOBIM deixou
mais de trezentas canções
que no mundo se enfeixou
nos mais ternos corações.

Em Nova York falece
dia sete, quinta-feira,
enquanto com dor e prece,
sepulto, oito, sexta-feira.

Muitas músicas compôs,
famosas no mundo inteiro
e com seu talento impôs
todo valor brasileiro.

Compositor aplaudido,
abrilhantou parcerias;
com elenco conhecido
fez seletas melodias.

Tinha fama mundial
de excelente pianista,
de um coração cordial,
de sentimento humanista.

Óculos, charuto e chapéu
que foram marca inconteste
de TOM que, hoje lá no céu,
canta música celeste.

Avenida em Ipanema
ganha o nome de JOBIM,
o carioca da gema
que tudo amou até o fim.

É a GAROTA DE IPANEMA
canção mais executada,
inclusive no cinema
por ser a mais consagrada.

São Paulo, sábado, 10 de dezembro de 1994.
Renato Báez.
***