segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

TROVAS PARA AS ESTRELAS * ELISABETH SOUZA AGUIAR - RJ

A Autora
*
Minhas mãos... venho trazê-las,
até parecem vazias,
mas são repletas de estrelas
que eu colho todos os dias.
*
Muito além do próprio céu,
eu trago estrelas na mão
e assim vou tirando o véu
de qualquer desilusão...
*
Estrelas são tão normais
nas mansões por onde habito
que não vou perder, jamais,
as estrelas do infinito.
*
Estrelas??!! Não só Bilac
com elas soube falar,
porque eu sei que até num baque,
mil delas vou garimpar...
*
Estrelas??! Faço a premissa
e antecipo uma colheita
e até mesmo na injustiça
há muita estrela na espreita...
*
Não há que seguir um mapa
que me mostre a direção,
pois mesmo levando um tapa
colho estrelas dessa mão...
*
Estrelas...quantas??!! São mil!!!...
São muito mais que um milhão,
porque num gesto gentil
eu as tenho em profusão...
*
estrelas...posso plantá-las
no agreste de cada chão
e até dentro das "senzalas",
onde houver escuridão...
*
Estrelas estão comigo,
no céu turvo e, sem ressalva,
se estou prestes ao perigo
é uma estrela que me salva.
*
Entre a "Estrela" friburguense
e o emblema tricolor,
se um é fato, me convence,
o outro vence pelo amor.
*